terça-feira, 19 de setembro de 2017

E As Montanhas Ecoaram - Opinião

E as Montanhas Ecoaram

Título: E As Montanhas Ecoaram
Autor: Khaled Hosseini
Ano de publicação: 2012

Sinopse:

1952. Em Shadbagh, uma pequena aldeia no Afeganistão, Saboor é um pai que um dia se vê obrigado a tomar uma das decisões mais difíceis da sua vida: vender a filha mais nova, Pari, a um casal abastado em Cabul e assim poder continuar a sustentar a restante família. A separação é particularmente devastadora para Abdullah, o irmão mais velho que cuidou de Pari desde a morte da mãe de ambos. Nenhum dos dois imaginava que aquela viagem até à capital iria instalar um vazio nas suas vidas que seria capaz de atravessar décadas e quilómetros e condicionar os seus destinos... 

Opinião:

Só ouvia maravilhas deste autor e, como tinha este livro na estante, decidi finalmente dar início à leitura.

Gostei da escrita do autor, é simples e envolvente, no entanto, estava à espera de um pouco mais da história. Cada capítulo foca-se sempre numa personagem diferente do anterior. E embora acabem por estarem todos interligados, não são tão seguidos e lineares como esperava. Às vezes queria saber o que aconteceria àquela personagem a seguir, mas a maioria das vezes só ficava a saber o que se estava a passar decorridos vários anos. Este aspecto acabou por quebrar um pouco o meu ritmo de leitura. 

É  uma história interessante mas que não me apaixonou completamente. Mas vou sem dúvida querer ler outros livros do autor.




sábado, 16 de setembro de 2017

Azul é a Cor Mais Quente

Blue Is the Warmest Color

Título: Azul é a Cor Mais Quente
Autora: Julie Maroh
Ano de publicação: 2010

Sinopse:

Originalmente publicado em França como Le bleu est une couleur chaude, Blue is the Warmest Color é uma novela gráfica sobre o crescimento, o enamoramento e a "saída do armário". Clementine é uma normal estudante do liceu: tem amigos, família e a atenção dos rapazes da escola. Quando um amigo, deliberadamente gay, a leva a sair pela cidade, ela vagueia por um bar lésbico onde encontra Emma: uma rapariga confiante, de cabelo azul. A atração é imediata e elétrica e Clementine envolve-se numa relação que vai testar as suas amizades, família e as suas ideias sobre si mesma e a sua identidade.

Opinião: 

Há muito tempo que ouvia falar muito bem desta Graphic Novel, vi muitas opiniões de que era uma das melhores histórias de amor. 

No entanto eu não concordo completamente. É uma história de amor LGBT, entre duas mulheres, mas não foi isso que me fez não gostar assim tanto do livro. Achei que havia demasiadas traições na história e também achei que a relação das duas poderia ter sido mais desenvolvida, houve poucos momentos em que estiveram juntas.

A maneira como acabou também não me convenceu muito, achei um pouco desnecessário. Mas é um livro que se lê bem e tem algumas partes bonitas.


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Mulheres de Cinza - Opinião

Mulheres de Cinza

Título: Mulheres de Cinza
Autor: Mia Couto
Ano de publicação: 2015

Sinopse:


Mulheres de Cinza é o primeiro livro de uma trilogia sobre os derradeiros dias do chamado Estado de Gaza, o segundo maior império em África dirigido por um africano. Ngungunyane (ou Gungunhane, como ficou conhecido pelos portugueses) foi o último de uma série de imperadores que governou metade do território de Moçambique. Derrotado em 1895 pelas forças portuguesas comandadas por Mouzinho de Albuquerque, Ngungunyane foi deportado para os Açores onde veio a morrer em 1906. Os seus restos mortais terão sido trasladados para Moçambique em 1985.

Existem, no entanto, versões que sugerem que não foram as ossadas do imperador que voltaram dentro da urna. Foram torrões de areia. Do grande adversário de Portugal restam areias recolhidas em solo português.
Esta narrativa é uma recreação ficcional inspirada em factos e personagens reais.

Serviram de fonte de informação uma extensa documentação produzida em Moçambique e em Portugal e, mais importante ainda, diversas entrevistas efectuadas em Maputo e Inhambane.


Opinião:

Mia Couto era um dos muitos autores tão conhecidos e conceituados de quem nunca tinha lido nada, mas que tinha interesse em fazê-lo. Comecei então por Mulheres de Cinza

Gostei da escrita do autor, mas confesso que esperava um pouco mais da história em si. Gostei de conhecer mais da realidade de Moçambique do século XIX. No entanto gostava de ter visto mais "sentimento" por parte das personagens e que tivesse havido um pouco mais de ação.

Apesar de ter aprendido com o livro e de ter gostado da escrita, não tenho a certeza se continuarei a trilogia. No entanto, vou querer experimentar outras histórias diferentes de Mia Couto.


terça-feira, 12 de setembro de 2017

Nas Asas do Amor - Opinião

Nas Asas do Amor (Wings of Glory #1)

Título: Nas Asas do Amor
Autora: Sarah Sundin
Ano de Publicação: 2010

Sinopse:

Allie nunca foi suficientemente bonita para agradar à sua deslumbrante mãe, por isso fará qualquer coisa para ter a sua aprovação: até casar com um homem que não ama. Enquanto Allie quase se resigna ao seu destino, o tenente Walter Novak - destemido na cabina de pilotagem, mas sem jeito para as mulheres - vai a casa na sua última licença antes de ser enviado para a Europa, combater pela Royal Air Force durante a Segunda Guerra Mundial.
Walt e Allie conhecem-se e o seu amor pela música junta-os, fazendo-os começar uma correspondência que mudará as suas vidas. Enquanto as cartas vão e vêm entre a base de bombardeiros de Walt, em Inglaterra, e a mansão de Allie, a amizade que cresce entre os dois une-os. Mas serão eles capazes de resolver os segredos, compromissos e expetativas que os separaram?

Opinião:

Foi um livro que me agarrou desde o início. Gosto muito de livros que se passam em tempos de guerra e este não me desiludiu. No entanto, a parte dos "combates" não foi tão interessante como outras que já li.

Gostei bastante, mas a certa altura comecei a ficar cansada de tantos contratempos. Também achei que o factor "fé" teve um contributo demasiado grande no desenrolar da história.

No geral, foi uma leitura rápida e agradável. Espero em breve ler os próximos da trilogia. Recomendo a sua leitura.


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

3º Aniversário de O Encanto das Histórias

Resultado de imagem para 3o aniversário

É verdade! O blogue completa hoje 3 aninhos! Uou, como o tempo passa. Foram 3 anos com períodos mais activos e outros nem tanto. Neste momento, ainda tenho algumas opiniões em atraso, mas acho que estou finalmente a conseguir colocar tudo em dia. Espero até ao final do mês ter todas as opiniões dos livros que li até agora.

Quero agradecer muito a todos os que vão perdendo algum tempo com este cantinho, seja só a ler como também a comentar. O Encanto das Histórias tem-me feito muito feliz e incentivado a ler mais.

Espero continuar por aqui e que vocês também continuem por aí :)

domingo, 10 de setembro de 2017

Inverno de Sombras - Opinião

Inverno de Sombras

Título: Inverno de Sombras
Autora: L. C. Lavado
Ano de publicação: 2011

Sinopse:


“Todos ficam sujos de sangue e há sempre alguém que morre.” 
Este é o lema de Danton.
Filho de dois poderosos feiticeiros, inimigos de séculos, a existência de Danton é apenas mais um golpe de guerra entre os pais.
Criado e aperfeiçoado por Amauri e Goulart, é temido por todos, incluindo os próprios.
Em Lisboa, uma misteriosa Caixa detém um poder que a família Santa-Bárbara guarda há gerações.
Isadora é a última descendente de uma linhagem de Paladinos, herdeira solitária de um império cultural e um legado que desconhece. Ela e o tio, Garrett, são tudo o que resta para proteger este grande segredo.
Mas Danton está decidido que é chegada a hora do poder da Caixa lhe pertencer, e as vidas dos Santa-Bárbara vão alterar-se para sempre.
Feitiçaria, magia, segredos e uma história de amor inesquecível, percorrem alguns dos lugares mais conhecidos de Lisboa e a zona mais sinistra de Paris.
O passado colide com o presente e tudo acontece… mas não como todos esperam.

Opinião:

Este foi um livro que me prendeu desde o início. Não é perfeito, mas adorei.

Está repleto de mistérios, romance, ação, revelações surpreendentes. É bastante divertido em algumas partes, mas também tem os seus momentos tristes e emocionantes.

Apesar de ter um bom número de páginas, lê-se bastante rápido. Gostava muito que houvesse continuação, tal como estava planeado incialmente. Recomendo a quem gosta de fantasia.


sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Um Homem Chamado Ove - Opinião

Um Homem Chamado Ove

Título: Um Homem Chamado Ove
Autor: Fredrik Backman
Ano de publicação: 2012

Sinopse:

À primeira vista, Ove é o homem mais rabugento do mundo. Sempre foi assim, mas piorou desde a morte da mulher, que ele adorava. Agora que foi despedido, Ove decide suicidar-se. Mal sabe ele as peripécias em que se vai meter. Um jovem casal recém-chegado destrói-lhe a caixa de correio, o seu amigo mais antigo está prestes a ser internado a contragosto num lar, e um gato vadio dá-se a conhecer. 

Ove vê-se obrigado a adiar o fim para ajudar a resolver, muito contrariado, uma série de pequenas e grandes crises. Este livro simultaneamente hilariante e encantador fala-nos de amizades inesperadas e do impacto profundo que podemos ter na vida dos outros.

Opinião:

Tinha uma certa curiosidade com este livro, mas como o tempo não era muito, decidi ouvi-lo em audiobook. Não fluiu tão bem como os anteriores que tinha ouvido, talvez por causa do género. 

Confesso que ficou um pouco aquém das minhas expectativas, estava à espera de um Ove ainda mais rezingão. 

Não foi uma leitura impulsiva, mas foi agradável, tem algumas partes divertidas e outras muito emotivas. Para mim, o que valeu mesmo a pena foi o final, que adorei completamente.


O Filme:

Achei o filme bastante fiel ao livro. Apesar de poder não ser tão aprofundado como o livro, como é natural, senti-me muito mais tocada por ele.  

Acho que foi muito bem adaptado, merece sem dúvida ser visto.

Classificação : 8*